PROJECT

FL STUDIO

YEAR OF CONCLUSION

2016

LOCATION

SAO PAULO, SP, BRAZIL

LEADER OF ARCHITECTURE

GUILHERME TORRES

PHOTOGRAPHY

DENILSON MACHADO – MCA STUDIO

A young lawyer contacted Studio Guilherme Torres to create the project for his loft located in a modern building in São Paulo, with a very clear request: he would like the same atmosphere as the Guilherme Torres exhibition “Hotel Black”. The brand new apartment had a broad plan with a double ceiling height, so it was possible to create a mezzanine that double its area.  

The project was conceived with a very precise woodwork for the furniture, which allowed to hide doors and home appliances and created a stair between the two floors. This feature unified all the spaces and created an illusion of having more space than there actually is. On the other hand, a cement coating was used in the floor and ceiling, allowing pure surfaces. The strict choice of the materials was taken to the limit, just as in the bedroom, where the bed is also a desk. This element provides the “deluxe hotel’’ touch as desired by the client. At the same time, the kitchen, the bathrooms and even the bathtub were made in corian.  

 

The austere atmosphere created by the architecture was broken by the décor, that uses the images from the photographer Gabriel Wickbold and special objects found by the architects with different styles. The owner, according to Guilherme, would have an alter ego like ‘Mr. Grey’ from E. L. James books, with the sober and sophisticated materials used in the apartament. 

PROJETO

PA HOUSE

ANO DE CONCLUSÃO

2016

ÁREA TOTAL

1200m²

LOCALIZAÇÃO

CURITIBA, PR, BRASIL

ARQUITETO LÍDER

GUILHERME TORRES

FOTOGRAFIA

DENILSON MACHADO — MCA STUDIO

O projeto consiste em uma casa de 600 m² em Curitiba, no Paraná. Ela foi formulada já na primeira visita do arquiteto ao local: “dois volumes perpendiculares, de concreto, vidro e aço, no meio de uma reserva natural”, Torres pontuou.

Uma das principais premissas era criar espaços abertos e amplos, rodeados por um verde exuberante em perfeito equilíbrio com uma atmosfera intimista. Para atingir esse objetivo a residência conta com diversas camadas reveladas à medida que a arquitetura se desdobra. A residência explora a mata nativa que é integrada ao terreno através da implantação em “L”, enquadrando toda a paisagem.

A parede da fachada em cobogós — alvenaria vazada típica da arquitetura contemporânea brasileira — logo apresenta a textura em primeiro plano, que se funde com a paisagem inicialmente assentada pela grama. Esse elemento permite a circulação de ar e cria jogos de sombra e luz, sem necessariamente revelar o que está em sua porção posterior.

O programa de necessidades foi desenvolvido para um casal e seus filhos, e se constituiu em estabelecer dois livings: um deles atua como um lounge formal e, o outro, com acesso à garagem, fica dedicado à família.

Enquanto este andar é revestido por vidro, o pavimento superior possui brises soleil em fita, que conferem privacidade às quatro suítes sem que a vista para a natureza fique bloqueada. Sua geometria longilínea também oculta, de maneira elegante, as construções que fazem divisa com o lote. Dessa maneira, a casa parece estar ancorada em um bosque.

O arquiteto define essa casa em apenas uma palavra: atemporal. Os espaços, ao contrário do que se imagina, têm poder de ressignificação e podem se transformar em outros ambientes conforme a necessidades e a vida dos que ali residem mudam.

De acordo com a incidência da luz, as sobras criadas pelas estruturas de concreto sobre a madeira criam um efeito singular, quase um “wabi-sabi” (a beleza da imperfeição, de acordo com a filosofia japonesa). Esse efeito foi explorado na escolha de todos os materiais: no mármore do piso e na madeira que reveste as paredes e o forro. O mais importante era trazer os elementos naturais para sua essência mais bruta, despertando sentimentos acolhedores que se encaixam perfeitamente com o clima da cidade — particularmente mais frio do que o típico clima tropical do país.

Apesar da aparente simplicidade em sua geometria e número parco de materiais, sua concepção desperta emoções quase líricas e em contraponto perfeito com a harmonia da natureza circundante.