PROJETO

FV HOUSE

ANO DE CONCLUSÃO

?

LOCALIZAÇÃO

?

ARQUITETO LÍDER

GUILHERME TORRES

FOTOGRAFIA

?

O jovem casal contratou o Studio Guilherme Torres na véspera do casamento. Durante o longo processo de aprovação regulatória, construção e finalização do projeto de interiores, o arquiteto teve a oportunidade de ver os filhos do casal nascerem e crescerem — “Considero a casa um membro da família, sonhada e desejada desde o início” —palavras dos proprietários. 

O terreno com grande declive possibilitou a realização de um projeto dividido em três níveis de acordo com a suas funções. No subsolo podemos encontrar a garagem, zonas de serviço, hall de entrada e um pequeno quarto de hóspedes, que surgiram durante o processo, à medida que a família crescia e florescia. No térreo, a ampla sala de estar revela-se através de portas de correr que se abrem para o terraço e piscina. A cozinha, que no início era para se integrar ao living, é o único espaço fechado do nível devido às necessidades de um lar com crianças.  

 

No andar de cima, três suítes e uma sala íntima estão contidos em uma caixa de concreto, que não toca o térreo. Um vão de 30cm entre as lajes foi estrategicamente desenhado para evidenciar o conceito do projeto — o cubo de concreto no plano longitudinal da alvenaria branca. Nas palavras do arquiteto "uma releitura dos preceitos da arquitetura de Le Corbusier". Todos os cinco princípios da nova arquitetura modernista estão presentes: planta livre sem função estrutural; fachada livre, resultante da planta; palafitas - aço inoxidável que sustenta o cubo de concreto e emerge suavemente da piscina, terraço-jardim com lajes impermeabilizadas; janelas em fita – que o arquiteto prefere representar através de grandes planos deslizantes de madeira, permitindo uma relação sem empecilhos com a paisagem. 

 

A simplicidade formal do projeto esconde as soluções de engenharia, lajes maciças de concreto protendido encontram seu eco no desenvolvimento do interior da casa. Armários de carvalho escondem tudo o que deve ser armazenado e mantido fora do alcance das crianças. Os móveis reúnem boas escolhas, o mix de Sergio Rodrigues, Hans Wegner e móveis de autoria, como o sofá da mesa Slice and Spin, laqueado e revestido com mármore branco “paraná”. As obras de arte, YES Gallery, são um reflexo do olhar contemporâneo dos proprietários. 

O jovem casal contratou o Studio Guilherme Torres na véspera do casamento. Durante o longo processo de aprovação regulatória, construção e finalização do projeto de interiores, o arquiteto teve a oportunidade de acompanhar o nascer e crescer dos filhos do casal. “Considero a casa um membro da família, sonhada e desejada desde o início...” — segundo os proprietários.

O terreno com grande declive possibilitou a realização de um projeto dividido em três níveis de acordo com a suas funções. No subsolo encontram-se garagem, zonas de serviço, hall de entrada e um pequeno quarto de hóspedes, que surgiu durante o processo à medida que a família crescia e florescia. No térreo, a ampla sala de estar revela-se através de portas de correr que se abrem para o terraço e piscina. A cozinha, que no início seria integrada ao living, é o único espaço fechado do nível devido às necessidades de um lar com crianças.

No pavimento superior, três suítes e uma sala íntima estão contidos em uma caixa de concreto que não toca o térreo. Um vão de 30 cm entre as lajes foi estrategicamente desenhado para evidenciar o conceito do projeto — o cubo em concreto no plano longitudinal da alvenaria branca. Nas palavras de Torres “uma releitura dos preceitos da arquitetura de Le Corbusier”. Todos os cinco princípios da nova arquitetura modernista estão presentes: planta livre sem função estrutural; fachada livre, resultante da planta; palafitas — aço inoxidável que sustenta o cubo de concreto e emerge suavemente da piscina, terraço-jardim com lajes impermeabilizadas; janelas em fita — que o arquiteto prefere representar através de grandes planos deslizantes de madeira, permitindo uma relação sem empecilhos com a paisagem.

A simplicidade formal do projeto esconde as soluções de engenharia, lajes maciças de concreto protendido encontram seu eco no desenvolvimento do interior da casa. Armários de carvalho escondem tudo o que deve ser armazenado e mantido fora do alcance das crianças. Os móveis são um mix de Sérgio Rodrigues, Hans Wegner e móveis de autoria própria como o sofá, mesas Slice e Spin, laqueadas e revestidas com mármore branco “paraná”. As obras de arte da YES Gallery são um reflexo do olhar contemporâneo dos proprietários.

PROJETO

FV HOUSE

 

ANO DE CONCLUSÃO

2014

LOCALIZAÇÃO

LONDRINA, PR, BRASIL

 

 

FOTOGRAFIA

DENILSON MACHADO ─ MCA STUDIO

Crafted in the heart of one of the most high-end neighbourhoods of São Paulo, the 1100m2 residence was built by the owner’s grandparents in the 1960s. The original house was designed following a neoclassical style and had a very closed and compartmentalized floor plan.  

 

The project aimed to rethink the spatial distribution of the environments, opening the internal spaces and creating new structures that transformed the house into a contemporary work of art, in total harmony with the client, a young DJ and music producer. 

 

The house presents it’s self with a very sophisticated style yet very informal. The project was developed using a palette of timeless materials of white Brazilian marbles contrasting with an elaborate ebony woodwork. 

 

All the furniture was entirely designed by the architect, who is also and designer. The sofas in the main living room and the fireplace room are covered in fabric and leather, in a modular system that allows infinite combinations. The dining table, purposely just mounted with one chair, maintains the dramatic mood of the decor. Pictures and objects are few and belong to the personal collection of the owner. 

 

The ebony wood walls hide doors and spaces like the wine cellar, which is separated from the office designed with acrylic panels that create a tasting area and accommodate wines, one of the owner great passions. 

 

On the upper floor, a generous 140 m2 master suite integrates bedroom, terrace, closet and bathrooms without any formal divisions. Walls with luminous panels mixed with ebony wood panels create subtle divisions. Again, all the furniture was developed especially for these spaces. 

All the upper floor spaces are open through black perforated movable metal panels, creating a very strong graphic effect:  pixelating the crowns of the trees that surround the whole construction, giving a surreal touch to a project that does not propose fully decorated spaces, but a careful and detailed selection furniture, that will receive the many layers of affective memory over the years.

PROJECT

V2 HOUSE

 

YEAR

2018

 

BUILT AREA

1.100m²

 

LOCATION

SÃO PAULO, SP, BRASIL

 

 

PHOTOGRAPHY

DENILSON MACHADO ─ MCA STUDIO

AWARDS