Um casal de colecionadores de arte tinha acabado de comprar uma bela residência no Jardim Europa, que já estava em fase final de obras. A casa, que em breve se tornaria um lar, precisava de um projeto de interiores que refletisse o estilo arrojado e sofisticado dos clientes.

A ideia foi criar uma base museológica para receber as obras e o mobiliário, escolhido a dedo junto aos clientes. Logo no hall de entrada, uma fotografia de Marina Abramovic junto ao banco Marquesa de Oscar Niemeyer recebe os visitantes e revela o gosto dos proprietários por obras contemporâneas.

No home theater, um mix entre peças clássicas e super atuais traz um clima descontraído, enquanto a predominância da cor azul clara no cômodo passa sensação de aconchego. A poltrona Sérgio Rodrigues e mesa lateral L’Atelier em jacarandá criam um contraste interessante ao lado do sofá da Micasa e coffee tables da Vitra. As serigrafias são de Abidiel Vicente para a Galeria Houssein Jarouche.

O living integrado se abre completamente para a área de lazer, onde uma grande árvore delicadamente filtra a luz solar que entra pelas grandes paredes de vidro. O living foi dividido em duas partes, em uma sala de estar principal e em outro ambiente mais intimista, de frente para um jardim vertical assinado por Alex Hanazaki. Um painel estrategicamente instalado em frente aos vidros exibe fotografias de Billy Name e uma tela de Basquiat. Os tapetes orientais são da Botteh. 

A mesa Jet, assinada por Guilherme Torres, é a grande protagonista da área de jantar e encontra o equilíbrio perfeito ao lado das cadeiras da Magis e lustre Moooi. O tríptico de Regina Silveira, da Luciana Britto Galeria, e os vasos-escultura de Kimi Nii, da Dpot Objetos, reforçam a atmosfera artsy do projeto.

Na suíte master, o destaque fica por conta da cama, também de desenho do arquiteto, em palhinha e cumaru, a mesma madeira do piso. O banheiro da suíte, que possui vista direta para o jardim, foi feito inteiramente em mármore estatuário. Escolhas atemporais que realçam a proposta contemporânea e despretensiosa do projeto. 

Um casal de colecionadores de arte tinha acabado de comprar uma bela residência no Jardim Europa, que já estava em fase final de obras. A casa, que em breve se tornaria um lar, precisava de um projeto de interiores que refletisse o estilo arrojado e sofisticado dos clientes.

A ideia foi criar uma base museológica para receber as obras e o mobiliário, escolhido a dedo junto aos clientes. Logo no hall de entrada, uma fotografia de Marina Abramovic junto ao banco Marquesa de Oscar Niemeyer recebe os visitantes e revela o gosto dos proprietários por obras contemporâneas.

No home theater, um mix entre peças clássicas e super atuais traz um clima descontraído, enquanto a predominância da cor azul clara no cômodo passa sensação de aconchego. A poltrona Sérgio Rodrigues e mesa lateral L’Atelier em jacarandá criam um contraste interessante ao lado do sofá da Micasa e coffee tables da Vitra. As serigrafias são de Abidiel Vicente para a Galeria Houssein Jarouche.

O living integrado se abre completamente para a área de lazer, onde uma grande árvore delicadamente filtra a luz solar que entra pelas grandes paredes de vidro. O living foi dividido em duas partes, em uma sala de estar principal e em outro ambiente mais intimista, de frente para um jardim vertical assinado por Alex Hanazaki. Um painel estrategicamente instalado em frente aos vidros exibe fotografias de Billy Name e uma tela de Basquiat. Os tapetes orientais são da Botteh. 

A mesa Jet, assinada por Guilherme Torres, é a grande protagonista da área de jantar e encontra o equilíbrio perfeito ao lado das cadeiras da Magis e lustre Moooi. O tríptico de Regina Silveira, da Luciana Britto Galeria, e os vasos-escultura de Kimi Nii, da Dpot Objetos, reforçam a atmosfera artsy do projeto.

Na suíte master, o destaque fica por conta da cama, também de desenho do arquiteto, em palhinha e cumaru, a mesma madeira do piso. O banheiro da suíte, que possui vista direta para o jardim, foi feito inteiramente em mármore estatuário. Escolhas atemporais que realçam a proposta contemporânea e despretensiosa do projeto.